A fortuna


Você corre atrás da sua fortuna jogando todo o seu presente (seu maior presente) para um futuro sem substância. A glória talvez esteja a um passo do seu túmulo. Ou dois. Ou trinta. Não importa. Essa é a rota. Esse é o norte inevitável.

Os senhores do tempo dirão que algumas cartas estão marcadas e que alguns jogos são suspeitos. No entanto, você apostará todas as fichas, sem pensar no que deixou para trás. Sem pensar verdadeiramente em você mesmo.

"Ei, meu soldado, mostre a sua força" - eles gritarão bem alto. Convictos. Em linha. Em série. Iguais. Exatamente no mesmo tom. E abafarão as batidas do seu coração.

O corpo então falha e a alma desvanece. Contudo, mais alguns degraus são superados. Não é agora que você vai desistir. Isso tem que ter um fim. Virou questão de honra. 

As sombras projetam alertas expressionistas na parede do quarto. A coleção de pílulas colore o ambiente e mancha o espírito. Um tsunami de agonia devasta a mente na madrugada insone.

Tudo recomeça na manhã seguinte.

Enquanto as notas voam, as cicatrizes ficam.



Compartilhar: