Ocaso


Impassível
Engoliu o choro
O riso
Pés em raízes
Reteve a lágrima 
Cerrou os dentes
Tornou-se estátua
Olhar de gesso
Ar de gelo
Cara de paisagem
Incorporou o espírito do vidro
Quase invisível
Pura transparência da água
Sem som
Sem fala
Só silêncio
Vestiu o pôr do sol
Face a face com o horizonte
Todas as dores do mundo
Curvaram-se em sua frente



Compartilhar: